Em seis meses, Neoenergia Cosern recupera 11,3 milhões de kWh de energia furtada no RN

O combate às fraudes e furtos de energia elétrica intensificado pela Neoenergia Cosern ao longo de 2022, através da Operação Varredura, resultou na recuperação de 11,3 milhões de kWh (quilowatt-hora). O número é relativo ao período compreendido entre os meses de janeiro a junho e chamam a atenção para os riscos que envolvem as instalações elétricas irregulares nos postes e áreas internas de residências. 

A fraude ocorre quando o consumidor já é cliente da distribuidora e manipula o medidor de energia com o objetivo de reduzir o consumo faturado. O furto consiste em desviar energia diretamente da rede elétrica sem a medição do consumo e o conhecimento da concessionária. Os riscos de acidentes que podem levar o executor do serviço ilegal à morte são elevados. 

“Além de elevado risco para os executores, as ligações clandestinas também oferecem riscos à população em geral por não atenderem aos padrões de segurança e podem prejudicar a qualidade da energia fornecida. Também é muito importante que os potiguares saibam que todos nós pagamos pelo prejuízo causado por esse tipo de crime. Todos os anos, no momento de calcular o valor do reajuste tarifário, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) inclui no cálculo um percentual relativo a essas perdas”, ressalta Gilmar Mikeias, gerente de Recuperação da Receita da Neoenergia Cosern. 

A quantidade de energia recuperada no primeiro semestre deste ano, conforme levantamento da Unidade de Recuperação de Energia da Neoenergia Cosern, é suficiente para iluminar, por exemplo, um município do porte de Macaíba por 30 dias, a quinta maior cidade potiguar com aproximadamente 83 mil habitantes e 78 mil unidades consumidoras de energia elétrica (entre residências e comércios). O consumo médio mensal de uma residência potiguar é de 150 kWh. Ao longo de 2021, foram recuperados mais de 46 milhões de kWh na Operação Varredura. 

A distribuidora reforça que os “gatos”, como são popularmente conhecidas as ligações clandestinas, representam riscos para a segurança de quem os realiza e da população. Além disso, o furto de energia prejudica o fornecimento de energia da região, podendo causar graves problemas para a rede elétrica e ocasionar a interrupção do abastecimento. O furto de energia é crime previsto no artigo 155 do Código Penal Brasileiro, com pena de até oito anos de reclusão. Por isso, é importante a denúncia de fraudes e furtos de energia. 

O apoio da comunidade é essencial para identificar os desvios e acionar a distribuidora. Os consumidores que se sentirem lesados com essa prática criminosa (uma vez que o prejuízo causado pelos desvios é dividido por todos) podem denunciar, de forma anônima, por meio do telefone 116. Há ainda, como canais de recebimento de denúncias, o número de WhatsApp (84) 3215-6001 e o site da Neoenergia Cosern (www.neoenergiacosern.com.br).

Crime

No início deste mês, equipes da Neoenergia Cosern, com apoio da Polícia Civil, identificaram e desativaram uma ligação clandestina de energia, o popular “gato”, em uma sucata no Bairro de Santos Reis, em Parnamirim. O responsável, um homem de 62 anos, foi preso por agentes da Polícia Civil e conduzido ao 1º Distrito Policial do município. Ao longo de 2021, seis pessoas foram presas pela polícia em todo o território potiguar furtando energia.

No final de julho passado, foram furtados 11,5 quilômetros de cabos da rede elétrica (o equivalente a 55 vãos entre os postes) nos municípios de Areia Branca, Porto do Mangue e Grossos. De 1 de janeiro a 24 de julho de 2022, o Centro de Operações Integradas (COI) da Neoenergia Cosern registrou 2.031 interrupções no fornecimento de energia elétrica provocadas por furtos de cabos da rede – configurando aumento de 449% em relação ao mesmo período de 2021.

Nenhum comentário:

FORMULÁRIO DE CONTATO

Nome

E-mail *

Mensagem *